Interiores / 1 agosto 2013

Mil capas

Gerais
QuemPatricia, restauradora de móveis.
OndeLomas de San Isidro, Província de Buenos Aires.
O queCasa-atelier com patio e jardím.
QuantoHá sete anos.

A casa e os objetos
ÊxitoA casa era branca e minimalista, e foi adquirindo capas, uma em cima da outra, conforme a vida foi passando.
FracassoA grama não vinga, porque as plantas -enormes- não a permitem. A solução está chegando em forma de pisos de calçada.
TolerânciaNão tem medo que alterem seu estilo. Ou melhor, espera que isso aconteça: Mónica, sua irmã, volta da Espanha para viver com ela e juntarão todas as suas coisas. Uma campeã também.
A transportaríaPara um entorno natural. No meio de um bosque seria ideal.
Com suas mãosTudo que implica pintura (nas paredes, tetos, chão e móveis) e caixa de ferramentas. Menção especial para as luminárias feitsas com vasos de plástico.
A vida aí
É o piorTudo da prateleira para limpar.
É o melhorJogar baldaços de água.
Especialidade culináriaSopa de lentilhas, locro* e puchero*.
AromasPau Santo.
Festeja-seA casa está sempre cheia de gente. Amigos e/ou familiares e/ou alunos.
RELAÇÕES
PlantasAqui não se poda.
PetsJorge (7), loro. Bocha (7), Allegra (6) e Memé (3), cachorros. Está por chegar Stan Fernández (10), cachorro também, que vem com a Mónica. Uma festa.
Por que
As centenas de quadros ficam onde caem: no chão, sobre os móveis, amontoados ou pendurados em alturas inimagináveis. Os tapetes se sobrepõe, alinhadas ou em diagonais impossíveis de prever. Da mesma maneira, ela pode decidir que uma parede vermelha seja pintada de verde e depois de azul. Os segredos? Espontaneidade e nenhum perfeccionismo.