secretária / 5 Septiembre 2010

A decolagem

Por Carolina C.
Foto de Mariela Paz Izurieta

Tenho vinte e nove anos e em breve, em outubro, será o primeiro aniversário da minha independência.

Porque eu sai da casa dos meus pais? Bom, em algum momento todos tem que ir, mas no meu caso foi porque eu estava atravessando uma crise existêmcial, dessas que te governam e que duram, e duram.

Não havia motivos.

Tinha um trabalho com um salário lógico, que me permitia pequenos luxos mensais e alguma ajuda em casa. Além da possibilidade de estudar o que eu quizesse. Assim passei por administração de empresas, design de moda e jornalismo (todas abandonadas, lógicamente). Tirava férias com minhas amigas todos os anos, e com um troco comprei um cachorro. Mas o vazio continuava! Nem o Oliver o preenchia.

Minha chefe, com quem tenho uma boa relação, me disse: “É que você está vivendo uma etapa que já caducou. Você precisa encarar a vida adulta, sair desta comodidade.”

Não gostei nada desse comentário. Durante alguns dias fiquei discutindo mentalmente com ela, e lhe dizia cheia de raiva, coisas como “Claaaaaaaro, para você é fácil porque você sempre teve seu apartamento”, “aumente meu salário, então”, “você não sabe de nada, já sou adulta, tá?”.

Mas a medida que a raiva ia passando, suas palavras me deixaram inquieta, e depois este assunto tornou-se um pensamento constante. Se eu fosse embora de casa…sentiria saudades? Com meu salário poderia pagar um aluguel? Viveria perto do meu trabalho ou da casa dos meus pais? Como seria a decoração? Depois, sem perceber isso se tornou um plano. Alguns meses depois consegui torná-lo realidade. Nem eu sabia que poderia ter tanta atitude.

Como pude demorar TANTO para perceber? Hoje tenho muito menos móveis do que havia planejado, nenhuma peça de roupa desta temporada e estão contados os alimentos na minha geladeira. Mas também tenho uma nova profissão que me entusiasma muito, pouco medo da solidão, melhor relação com minha família e comigo mesma, e uma casa que é linda, e ficará melhor a cada dia!