Interiores / 14 abril 2010

Esperar o momento

Quantas vezes você já se viu diante de uma pechincha, mas deixou passar porque não era o momento? Com a Luz e com o Mauricio já rolou várias vezes quando eles moravam num apartamento muito pequeno, que já não cabia mais nada. Priorizando os planos de ter algo maior no futuro, conseguiram um baú e foram guardando tudo o que sonhavam para esta casa. Assim, aceitaram contentes vários móveis de familiares e não se privaram de passear, como eles tanto gostam, por antiquários e mercados da Grande Buenos Aires, abertos a encontrar surpresas e bons preços.

O futuro chegou e o apartamento do bairro de Nuñez é esplêndido com a união de tudo o que já tinham e tudo que estava esperando sair do por enquanto.

Mas a coisa nunca termina (a Luz disse e nós concordamos: ainda bem!). Aos poucos foram acrescentando coisas novas, como as cadeiras da “Amistad o nada”, um sofá comprado pela internet, lembranças de viagens e o quadro enorme da sala comprado de um pintor louco e simpático do Mercado de Pulgas. E de autoria da Luz, cortinas para a casa toda e a feliz lavada de cara a base de pintura e mosaicos para a mesinha das plantas.

Fotos: María Tórtora