Interiores / 17 Marzo 2010

Tudo inspira

Tem gente que caminha pelas ruas simplesmente para ir de um lado ao outro, com pressa, distraídos e sem esperar surpresas. Mas há muitas outras pessoas que aproveitam cada passo que dão para procurar. Procurar o quê? Qualquer coisa. A rua sempre terá algo para lhes oferecer.

Alejandra é uma dessas do segundo exemplo. Artista há mil anos, encontrou nas calçadas não somente elementos que hoje brilham na sua casa, mas também o pontapé inicial para uma das suas atividades atuais. (*)

O apartamento (moradia, oficina e showroom) transborda cor graças a exposição de seus quadros e bolsas. E as cores se alastram por todos os objetos que ela imagina: alto-falante, telefone, máquina de escrever…até a mesa onde trabalha recebe contente as pinceladas sem reclamar por limpeza.

Alguém decidiu que não queria mais gavetas e jogou fora. De branco, se converteram em estantes para a sala e cozinha. Fechou uma loja de lembranças e o clássico expositor giratório ficou orfão. Desarmado e posto sobre a parede, sustenta seus lindos cartões e postais. Que sorte tem a Ale para dar-lhes vida.

(*) Uma vez, há mais ou menos dez anos, encontrou uma maleta antiga e a pintou. Ficou tão linda que desde então se dedica a isso.

(*) Una vez, hace como diez años, encontró un maletín antiguo y lo pintó. Quedó tan lindo que se dedica a eso desde entonces.

Fotos: María Tórtora